Notícias News

Ministério Público abre investigação sobre a Marcha para Jesus no Rio de Janeiro e pastor Silas Malafaia diz ser “perseguição religiosa”

O Ministério Público do Rio de Janeiro abriu um inquérito para apurar o repasse de R$ 1,6 milhão da prefeitura da cidade para a organização da Marcha para Jesus em 2013 e o pastor Silas Malafaia classificou a iniciativa como “perseguição religiosa”.

A promotora Glaucia Santana, da 5ª Promotoria de Tutela Coletiva, denunciou o prefeito Eduardo Paes (PMDB) por improbidade administrativa pela doação da verba, e Malafaia criticou a ação, questionando se processos semelhantes seriam feitos em outros eventos de cunho religioso.

“A Marcha está no calendário oficial da cidade e não é evento da igreja evangélica. Quero saber se o Ministério Público também abre procedimento para Jornada Mundial da Juventude [organizado pela Igreja Católica] e para festas inter-religiosas. Isso é perseguição contra os evangélicos”, disparou o pastor. “Se ela (a promotora Glaucia, responsável pelo caso) não estiver investigando os outros eventos também, eu entro com uma ação no Conselho Superior do MP contra ela”, acrescentou.

Silas Malafaia é presidente do Conselho dos Ministros do Estado do Rio de Janeiro (COMERJ), entidade responsável pela organização da Marcha para Jesus na capital fluminense. Caso Paes seja considerado culpado, deverá ressarcir os cofres públicos no total do valor repassado à organização da Marcha.

A promotora defendeu sua iniciativa usando como argumento a premissa de laicidade: “O Estado é laico, e a Prefeitura não pode dar dinheiro para evento religioso. Se condenado, o prefeito também pode perder poder político”, afirmou Glaucia Santana.

O evento também está na mira do Tribunal de Contas do Município, que investiga o aporte de verbas da prefeitura à Marcha para Jesus. No processo, além do contrato de 2013, é investigado também o repasse de verbas feito no ano anterior com a mesma finalidade, num total de R$ 2,4 milhões, de acordo com informações do jornal O Dia.

Somando as três últimas edições da Marcha para Jesus, a prefeitura carioca já repassou mais de R$ 6,4 milhões ao COMERJ. O último repasse, de R$ 2,4 milhões, foi feito para o evento deste ano.

Nenhum comentário