Notícias News

Descobertas ruínas do que seria a igreja mais antiga do Egito

A equipe de arqueólogos liderada pelo Dr. Krzysztof Babraj, do Museu de Arqueologia de Cracóvia, encontrou o que pode ser as ruínas da igreja cristã mais antiga do Egito.
A descoberta foi feita durante trabalhos de escavação em uma antiga basílica cristã e o grupo acredita que este material possa guiá-los a entenderem como foi a disseminação do cristianismo através do Egito e circundante do Mediterrâneo.
As ruínas encontradas estão próximas ao porto de Tide, em Marea, uma área portuária que servia a cidade de Alexandria até que os árabes conquistaram aquela região e porto foi abandonado depois de um terremoto.
“No final da última temporada de pesquisas, encontramos sob o piso da basílica os restos de uma parede, que se revelaram ser as paredes externas de uma igreja ainda mais antiga. Este é um dos mais antigos templos cristãos descobertos no Egito até agora”, revelou o Dr. Krzysztof.
A igreja que está debaixo da basílica foi construída com paredes em forma de cruz e tem medidas de 22 por 13 metros, ricamente ornamentado por azulejos policromados. Como foi construída a partir de calcário, a equipe foi capaz de determinar a idade do local a partir dos testes com a cerâmica encontrada dentro dela.
Se a data for realmente o século IV, coincidirá com o mesmo período em que Roma adotou o cristianismo pela primeira vez. Isso pode significar também que o Egito foi um dos primeiros centros de evangelização do Mediterrâneo.

Nenhum comentário