Notícias News

Vereadora diz ser vítima de “crentofobia”

A vereadora Carla Pimentel (PSC), de Curitiba, tem sido alvo de críticas por conta de um projeto criado para premiar na Câmara quem prestar serviços à Igreja Evangélica.
Assim como outras propostas da vereadora, o projeto foi até citado como inconstitucional, mas para ela a crítica não passa de “crentofobia”.
“Já existe o mesmo para os católicos, e não vejo por que não ocupar esse espaço. Queremos democracia”, disse ela em entrevista ao jornal Gazeta do Povo.
Na visão de Pimentel há um erro de interpretação da Constituição que garante o Estado laico. “Existe uma grande distorção, as pessoas pensam que é um estado ateu. Quando falamos no Estado laico, não podemos entrar numa ‘crentofobia’. O Brasil é um país majoritariamente cristão. Muito da minha atuação é vítima deste preconceito.”
Outro projeto de Carla que foi vetado foi a homenagem ao pastor Silas Malafaia. Os vereadores da cidade vetaram o projeto que concederia ao fundador da Associação Vitória em Cristo o título de “Cidadão Honorário de Curitiba”.
Os vereadores entenderam que Malafaia não poderia ser homenageado por conta de suas ideias conservadoras que para eles são homofóbicas.
Carla Pimentel acredita que essa atitude também mostra a “crentofobia” da Câmara. “O que nós pretendemos é representar essa cultura de respeito e de paz, e o pastor Malafaia era um ícone para isso”, disse ela.

Nenhum comentário